Recaída ao uso do Álcool

Tratamento Intensivo e diferenciado para Dependentes que já tiveram internações e voltaram a usar drogas e álcool.

A CTES não quer que o dependente e seus familiares acumulem títulos de internação.

A recaída ao uso de substâncias químicas é alarmante depois de internações sem um projeto clínico terapêutico realmente desenvolvido com base na experiência de resultados positivos, estar atento ao projeto de tratamento da clínica e aos profissionais envolvidos na reabilitação do paciente é fundamental para o sucesso da recuperação.

Quando ocorrem novas internações em decorrência das recaídas a abordagem médica e psicológica, se redimensiona com focos incisivos nas causas da recaída para promover a desintoxicação aliada a um programa específico comportamental para solucionar questões psicológicas individuais.

O tratamento para dependentes de substâncias químicas que já passaram por internações não pode ser o mesmo para um dependente que está efetuando um tratamento pela primeira vez, o fato do alto índice de volta ao uso de drogas e álcool está diretamente ligado ao projeto da clínica que o dependente esteve internado e principalmente as abordagens clínica médica e psicoterapêuticas utilizadas nesses casos.

A CTES desenvolveu um plano de tratamento específico para estes casos. O tratamento para recaídos de drogas são separados na maioria das abordagens, reuniões e dinâmicas executadas separadamente dando ênfase aos aspectos que são apresentados diante da volta ao uso de substâncias químicas destes dependentes, aplicações de testes neuropsicológicos para definir e traçar o perfil do paciente e aplicar um processo medicamentoso adequado a sua realidade e comprometimento, abordagens individuais intensivas e um planejamento de curto prazo para o regime de internação.

“Institucionalizar um dependente de drogas com internações de baixa qualidade somente para interromper o uso de drogas contra a vontade do dependente acarreta em prejuízos físicos e psicológicos permanentes.”

O cronograma utilizado para um paciente reincidente em internação é diferente e alternado, dando competência para que o mesmo tenha mais liberdade de atingir o objetivo da recuperação, fases de introspecção e atividades individuais são focadas para atender cada caso. O alcoolismo causa doenças hepáticas como cirrose, demência, alucinações, delirium, distúrbios de comportamento, sono e tantas outras doenças. Além de degradar a vida do alcoólatra o álcool destrói a família, tira o prazer de viver, corrompe e desmoraliza o dependente de álcool.


 

Venha conhecer a CTES, nossa equipe apoia sua mudança! Ou solicite agora o tratamento e tenha maiores informações, pela nossa Central de Atendimento ou nos envie um e-mail em nossa página de Contatos.